Sustentabilidade nas empresas, na legislação e na vida de todos nós

31, May, 2021

De acordo com os especialistas, a sigla ASG (Ambiental, Social e Governança) é uma das principais tendências no mundo empresarial, pois seus fatores centrais ajudam a medir o grau de envolvimento com a sustentabilidade e o impacto social. Por isso, está se tornando, rapidamente, uma prática nas empresas que pretendem estar cada vez mais à frente, em um cenário de competitividade e melhor alinhamento com seu público.

É o caso da Construtora Lorenzini com seu ótimo exemplo relacionado à primeira letra da sigla, ou seja, ao meio ambiente. Um assunto rico e abrangente, que pode ser tratado de diferentes maneiras. Escolhemos 3 pontos que se completam.  

Primeiro: a empresa tem um respeito natural pelo meio ambiente leva muito a sério e preserva o seu compromisso de utilizar somente Madeira Certificada em suas obras, como no VistaBella, o seu último lançamento em São Caetano do Sul. E não é apenas pelo fato de ser legal (a Lei está mais embaixo). É por uma questão de princípio, qualidade e conduta empresarial, que é fazer o certo e o melhor em todas as etapas da construção; incluindo, é claro, o madeiramento estrutural com Madeira Certificada.

Aí alguém pode perguntar: Mas o que a Lorenzini ganha com isso? Ela ganha, todos ganham e a resposta explica bem: esse tipo de madeira é extraída de maneira planejada, sob orientação e fiscalização. Isso evita o desmatamento, que tem relação direta com o aquecimento global.

Outro ponto, outra pergunta: mas é obrigatório usar essa madeira? Seguramente, sim. É o que estabelece o Projeto de Lei 2852/19, aprovado pela Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados*. O texto oficial define assim: “madeira oriunda de processo produtivo ecologicamente adequado e economicamente viável*. E as opiniões florescem rápido, de maneira favorável: ela garante a saúde da floresta, a qualificação e benefícios para os trabalhadores e a economia do setor.

O ponto seguinte é a nossa convivência com o meio ambiente, fora da empresa. No parque, na trilha, na cachoeira, no bosque, no jardim da sua casa, no belo paisagismo do Vivacittà e outros edifícios com apartamentos prontos para morar em São Caetano, Santo André e São Paulo. Claro que nem tudo são flores, nem na vida e nem no meio ambiente. Mas o que importa mesmo, para todos nós, é a preservação, o cuidado, o desenvolvimento sustentável, a responsabilidade ambiental, o respeito à natureza, prático e verdadeiro. Exatamente como faz a Construtora Lorenzini.


Batista de Oliveira/


*Fonte: Agência Câmara de Notícias. www.imap.gov.br - 30/08/2019